Palavra de Deus. Graça e luz em sua vida!

“Anunciar o Evangelho não é glória para mim; é uma obrigação que se me impõe. Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho!” [1Corintios 9 ,16] "Curta" a Página Deus em Minha Casa! https://www.facebook.com/DeusEmMinhaCasa

A parábola da rede

Quinta-Feira
01 de Agosto de 2013

Evangelho: (Mt 13,47-53)

"O Reino dos Céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie. Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta. Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes.

Compreendestes tudo isso? – Sim, Senhor – responderam eles. Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos Céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas.

Após ter exposto as parábolas, Jesus partiu".

Comentário: A consumação do Reino se realiza através do julgamento que separa os bons dos maus. Os que vivem a justiça anunciada por Jesus tomarão parte definitiva no Reino; os que não vivem serão excluídos para sempre. É preciso decidir desde já.

A presença do Reino de Deus na nossa história não pode ser obscurecida pela presença do mal no mundo. As pessoas devem ser capazes de analisar toda a realidade a partir dos critérios do Reino para, à luz do Espírito Santo, ser capaz discernir o bem do mal e escolher o que contribui para que ela possa se aproximar cada vez mais de Deus. Mas esta distinção não dá ao cristão o direito de condenar os que erram, ao contrário, ele deve ser um instrumento nas mãos de Deus para que todos sejam capazes de fazer esta distinção e trilhar os caminhos do bem. (Da liturgia da CNBB)

Oração: Senhor Jesus, iluminai meu coração para que assimile vosso jeito de viver, e me deixe transformar pela vossa verdade. Ajudai-me a levar para muitos as respostas que destes para minhas perguntas. E dai-me a sabedoria necessária para entender as perguntas e inquietações novas deste nosso mundo, e sugerir, sem as querer impor, soluções que nos levem para a verdade e justiça. Amém.

Nenhum comentário: