Palavra de Deus. Graça e luz em sua vida!

“Anunciar o Evangelho não é glória para mim; é uma obrigação que se me impõe. Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho!” [1Corintios 9 ,16] "Curta" a Página Deus em Minha Casa! https://www.facebook.com/DeusEmMinhaCasa

Jesus fala de sua morte e ressurreição

Segunda-Feira
12 de Agosto de 2013

Evangelho: (Mt 17,22-27)

Enquanto caminhava pela Galileia, Jesus lhes disse: "O Filho do Homem deve ser entregue nas mãos dos homens. Eles irão matá-lo, mas ao terceiro dia ressuscitará". E eles ficaram profundamente aflitos.

Logo que chegaram a Cafarnaum, aqueles que cobravam o imposto da didracma aproximaram-se de Pedro e lhe perguntaram: "Teu mestre não paga a didracma?" - "Paga sim", respondeu Pedro. Mas quando chegaram à casa, Jesus preveniu-o, dizendo: "Que te parece, Simão? Os reis da terra, de quem recebem os tributos ou os impostos? De seus filhos ou dos estrangeiros?" Pedro respondeu: "Dos estrangeiros". Jesus replicou: "Os filhos, então, estão isentos. Mas não convém escandalizá-los. Vai ao mar, lança o anzol, e ao primeiro peixe que pegares abrirás a boca e encontrarás um estater. Toma-o e dá-o por mim e por ti".

Comentário: Uma coisa é termos direito sobre algo e outra coisa é a conveniência do uso desse direito. No nosso dia a dia, muitas vezes acontece que temos que renunciar a um direito em vista de um bem maior. O próprio Jesus nos mostra essa necessidade no evangelho de hoje, quando renuncia ao direito de não parar os impostos do templo para conseguir um bem maior que está no fato de evitar escândalos. Assim, também nós devemos deixar de lado determinados direitos, que podem até demonstrar mesquinhez, quando esses podem se tornar causa de escândalos ou conflitos e fazer com que percamos um bem maior como a paz e a tranquilidade.

Oração: Senhor meu Deus, meu conhecimento é limitado, mas vós tudo sabeis e conheceis o que será melhor para mim. Confio, pois, a vós o futuro, meus planos e minhas esperanças. Dai-me a tranquilidade e a paz, não permitais que imaginações do futuro me impeçam de viver agora. Por mais prudente que eu seja, só o vosso poder infinito pode livrar-me dos perigos. Senhor, confio em vós. Amém.

Nenhum comentário: