Palavra de Deus. Graça e luz em sua vida!

“Anunciar o Evangelho não é glória para mim; é uma obrigação que se me impõe. Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho!” [1Corintios 9 ,16] "Curta" a Página Deus em Minha Casa! https://www.facebook.com/DeusEmMinhaCasa

A pergunta sobre a ressurreição

Domingo
10 de Novembro de 2013

Evangelho: (Lc 20,27-38)

Aproximaram-se de Jesus alguns saduceus, que negam a ressurreição, e lhe perguntaram: “Mestre, Moisés deixou-nos escrito: se alguém tiver um irmão casado e este morrer sem filhos, deve casar-se com a viúva a fim de garantir a descendência para o seu irmão.

Ora, havia sete irmãos. O primeiro casou e morreu, sem deixar filhos. Também o segundo e o terceiro se casaram com a viúva. E assim os sete: todos morreram sem deixar filhos.

Por fim, morreu também a mulher. Na ressurreição, ela será esposa de quem? Todos os sete estiveram casados com ela”.

Jesus respondeu aos saduceus: “Nesta vida, os homens e as mulheres casam-se, mas os que forem julgados dignos da ressurreição dos mortos e de participar da vida futura, nem eles se casam nem elas se dão em casamento; e já não poderão morrer, pois serão iguais aos anjos, serão filhos de Deus, porque ressuscitaram. Que os mortos ressuscitam, Moisés também o indicou na passagem da sarça, quando chama o Senhor de ‘o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó’. Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos, pois todos vivem para ele”.


Comentário: Os saduceus eram liberais e racionalistas. Não aceitavam o que a tradição e as Escrituras diziam sobre a ressurreição final, quando também nossa corporeidade será transformada e fará parte de nossa felicidade. Muitos negavam até a imortalidade da alma. Para se opor à doutrina de Jesus, apelaram para um exemplo que, esperavam, pudesse provar seu absurdo. Em resumo, Jesus diz que erravam ao imaginar a ressurreição como continuação desta realidade atual. Não seremos puros espíritos, mas também não viveremos nas mesmas condições de agora. Das suas palavras, porém, não podemos concluir que na vida futura não continuarão os laços de amor e amizade que agora nos unem, ou os laços do amor conjugal entre os esposos. A caridade é para sempre.

Oração: Senhor, creio que conservareis para sempre a vida que me destes. Creio que esta minha realidade corporal continuará para sempre, transformada e libertada de todas as limitações de agora. Alegro-me com isso, e louvo vossa bondade, vosso poder e sabedoria. Poderei ser feliz para sempre, unido a vós, participando para sempre de vossa vida. Eu vos bendigo também porque poderei continuar conhecendo e amando para sempre aqueles que nesta vida pusestes ao meu redor. Eu vos agradeço porque esse nosso amor será purificado e ampliado, e finalmente poderemos compreender-nos sem os desencontros de agora. Lembrando isso tudo, hoje vos quero pedir ajuda para viver aqui e agora, de modo que possa ter parte nessa feliz e alegre transformação final. Amém.

Nenhum comentário: